sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Aspectos da vida na Escandinávia (II)

(Este é o segundo texto da série Aspectos da vida na Escandinávia - é óbvio, eu sei, está escrito no título, mas preciso do parêntese. No primeiro texto explico o que a série significa. Clique neste link, Aspectos da vida na Escandinávia (I), ou se preferir, ou leia o blog de baixo para cima. Não sei como resolver esse problema: para os que estão aqui pela primeira vez os textos perdem a ordem cronológica e precisam dessa, digamos, introdução. Aos que já vieram aqui torna-se ambíguo. Fazer o que? Esperar vossa generosa compreensão. E toda vez que postar, explicar tudo outra vez. Enfim:)

Na foto, no jardim da Universidade de Gotemburgo, a árvore que produz a maçazinha azedíssima que ninguém deve comer... Vá por mim

As Macieiras
Alguém lembra do samba?
“Laranja madura,
na beira da estrada
Tá bichada, Zé
Ou tem marimbondo no pé.”
Pois é. Aqui na Dinamarca o povo até gosta de samba, mas não entende a letra. Nas calçadas as macieiras estão carregadas, as frutas amadurecem a caem no chão e... Ninguém pega. Não é educado, não lhe pertence. É do dono da casa.
- Mas nem se pedir? – questionei a um dinamarquês. Ele não entendeu o que era pedir... Eu menos ainda... Até porque uma polonesa me garantiu que se as maçãs não forem colhidas a macieira adoece. É. Então ta bão.
Ah!, tem muito por aqui uma árvore que dá uma frutinha vermelha do tamanho de uma cerigüela, seriguela (agora ferrou: peraí, dicionário... Dia desses encontrei na Suécia um brasileiro de Cuiabá que estava já há três anos na Itália e havia esquecido o português. Ele me disse que era do mesmo país que o meu e eu retruquei dizendo que não era de Angola.)... Achei. Vixe! Tanto faz com “c” ou com “s”, mas há trema nas duas versões. Enfim, estejam avisados: não coma a tal da frutinha vermelha. É uma maçãzinha azeda qual limão e que aperta que nem banana verde. Essa ninguém pega mesmo. Só os desavisados...

Uma das três pereiras no quintal do prédio onde eu e Cris moramos. A pêra vai ficando marrom quando amadurece aqui. Havia três até semana passada. E não iam escapar. Mas chegou outro brasileiro antes e faturou

3 comentários:

Deusmar disse...

Mano,
Aguardamos com ansiedade cada post deste Blogazzo que nos brinda com textos sempre muito bem escritos, leves - e que nos remetem, dia após dia, ao universo europeu com toda a herança cultural que lhe é peculiar.
Muito legal a informação sobre a melhor cerveja do Planeta. Idem os traços de uma sociedade que não ousa comer a maçã do vizinho.
Københavns não está no meu roteiro-2008, but Istanbul, Turkey. Idem Firenze, Italia. Nos vemos por lá.
Abraços e saudades.
Deusmar

João Camargo Neto disse...

Nossa, que engraçado: mais cedo mesmo ouvi Ataulfo Alves. Agora tô baixando Flores do Clube da Esquina. Canções do Clube interpretadas por vozes femininas. Um arraso!

HELENA disse...

É garoto... já ficamos desatualizados. Agora pelo menos não haverá mais o trema... por isso nunca mais precisaremos tremer de ódio pra sabermos se ele (o trema) existe ou não. Umama nova versão e Nietzche, se fosse brasileiro e vivesse em 2009, seria: "Trema está morto". Viu como ainda continuo boba???