segunda-feira, 22 de setembro de 2008

É o samba do pica-pau amarelo...

Gente, vamos esclarecer uma coisa: até onde pude ver a Dinamarca não tem nenhuma tradição no confeito de chocolates. Na Europa chocolate bom mesmo vem da Bélgica e da Suíça (o toblerone está fazendo 100 anos).
- Mas, mas... Como assim? - você pergunta.
Eu explico. É que toda vez que falo a um brasileiro que moro na Dinamarca ele diz para eu comer muuuuuito chocolate. Eu não refuto para o sujeito não ficar com vergonha.
Mas veja bem.
Os chocolates da marca Kopenhagen - muito bons por sinal - são totalmente made in Brasil. A primeira fábrica surgiu na década de 1920 no bairro do Itaim Bibi, São Paulão capital. Tem nada a ver com a capital dinamarquesa. Só o nome, que por sinal é o sobrenome dos fundadores da empresa no Brasil, um casal de imigrantes letões (calma de novo; letão é quem nasce na Letônia, país que fica do outro lado do Báltico, colado na Rússia, e que entrou dia desses mesmo para a União Européia).
Eu sei que não é fácil. Ainda mais porque o doce mais consumido da Dinamarca é idêntico ao famoso Nhá Benta da Kopenhagen, aquele marshmallow envolto em chocolate. Eles devem ter feito isso para confundir mesmo.
Aliás, outra semelhança muito própria para causar confusão. Tem uma marca muito popular desse doce aqui. Ela pode ser encontrada com facilidade em qualquer supermercado. O nome da marca é...
SAMBA.
Pode?

Nenhum comentário: