quinta-feira, 12 de março de 2009

Um dia em Oslo (ou) O fascinante parque das estátuas

(Atualizado e ilustrado em 16 de julho de 2009)

Que tal um mini-cruzeiro para Oslo, a impressionante capital da Noruega? É um passeio deslumbrante e, acreditem, adequado ao bolso brasileiro. O mini-cruzeiro foi uma sacada espertíssima da companhia naval que faz a rota diária entre Oslo e a capital dinamarquesa, Copenhagen.
Vamos aos detalhes. É uma viagem bate-e-volta. Dura duas noites, uma para ir, outra para voltar, e o dia no meio delas você passa em Oslo. Na ida e na volta, o navio parte às 17 horas e chega às 9 da matina do outro dia. Numa cabine para duas pessoas, simples, você vai gastar, veja bem, R$ 450,00. Considerando-se que estão incluídos hospedagem (duas noites) para duas pessoas mais o transporte para Oslo, é barato. Mas é só a cabine com roupa de cama, sem toalha, e é pequena. Se você quiser algum luxo, tem as áreas Vips, e os preços vão subindo até os R$ 2,5 mil.
Mas porque é “barato” numa das regiões mais caras do mundo? Porque eles ganham de outra forma.
A concessão para o transporte naval de cargas, veículos e passageiros prevê uma rotina diária na travessia, o que pode acabar oneroso e dar prejuízo. Então, para atrair os viajantes, eles oferecem preço baixo para ganhar nos restaurantes, cafés, free-shops e danceterias a bordo da enorme nave. Nas facilidades dentro do navio, tudo é de primeiríssima classe, e caro, porém opcional. Se você prefere economizar leve a sua farofa, sem problemas, e aprecie a travessia e um dia inteiro na espetacular Oslo. Mas reserve um dinheirinho para o free-shop, que tem promoções interessantes.
Ah!, tem um detalhe chato. Para fazer a reserva pela internet (www.dfdsseaways.dk) você precisa de alguém que lhe auxilie com o dinamarquês ou o norueguês... Se tiver como, vá ao deck da DFDS nos portos de Copenhagen ou Oslo que eles lhe atendem em inglês. Talvez em espanhol.
Se partir de Copenhagen, acorde cedo para ver a chegada pelo estupendo fiorde de Oslo ao amanhecer. Se pagou pelo café da manhã, aprecie a paisagem do deck elevado, pelas amplas janelas de vidro, saboreando guloseimas deliciosas até o desembarque, às 9 horas.
Siga o roteiro a seguir, que é básico e rápido. Afinal, você só tem sete horas em Oslo. Após o desembarque, pegue um táxi até a estação central. Ou caminhe, são uns 25 minutos na primeira avenida que você encontrar à direita. Você saberá quando chegar à estação. Muvuca. Se tiver dúvida, pergunte, todo mundo fala inglês. Ao lado da estação tem um centro de informação ao turista. Lá você troca seus euros por coroas norueguesas sem taxa, compra bilhetes para o transporte público, pega um mapa e pede dicas para um rápido giro. Como você tem de voltar ao navio às 16h30, caminhe pela Karl Johans Gate apreciando as lojas e os monumentos nessa bonita avenida. Faça uma foto com a estátua do dramaturgo Henrik Ibsen em frente ao Teatro Nacional; continue até o Slotsparken, o parque do castelo, que oferece uma bonita vista da cidade; caminhe por entre as árvores do parque; volte ao Nationaltheatret e pegue o metrô até a estação Majorstuen, caminhe 10 minutos pela Kirkeveien (à direita) e chegue ao ponto alto da visita, o espetacular Vigeland Skulpture Park.
O Vigeland Park é o trabalho da vida do escultor norueguês Gustav Vigeland (1869-1943). São mais de 200 esculturas em bronze, ferro e granito espalhadas pela luxuriante área do parque, com suas árvores multicoloridas, especialmente no outono. Deixe-se hipinotizar pelo obelisco com 121 figuras humanas entrelaçadas. Melhor que palavras, as fotos dão a dimensão da grandiosidade da obra de Vigeland.






Imagens do Vigeland Skulpture Park, em Oslo, capital norueguesa

Taí. Então, tire muitas fotos do Vigeland Park, mas reserve uma horinha para uma visita a uns dos bons museus de Oslo: sugiro o Nasjonalmuseet, com obras de Edvard Munch (aquele de O Grito), ou o Vikingshipmuseum, o museu do barco viking. Ao fim, vá à região do porto e aprecie a impressionante paisagem do fiorde de Oslo da área elevada do Museu da Resistência Norueguesa, onde os valentes nativos combateram por algumas horas a invasão nazista na Segunda Guerra Mundial. Marque 16 horas no relógio e volte ao navio, embarque e curta o resto da viagem na boate.

3 comentários:

Pedro Palazzo Luccas disse...

você bem que poderia ter escrito sobre o terremoto, né?

Paola disse...

Que historia e essa de terremoto, hein?
Nossa, adorei o texto. Muito gostoso. E em ritmo de correria, como deve ser ter so um diazinho pra tudo o que voce sugeriu. Otima dica, otimo texto. Voce devia escrever guias de viagens, Reale =)

Raquel chini disse...

Fizemos um cruzeiro de Barcelona à Inglaterra (o último da temporada)por 12 dias e uma das paradas foi Oslo. Realmente é muito lindo esse parque. Adorei!