segunda-feira, 27 de julho de 2009

República Checa - A Europa que cabe no seu bolso

A República Checa oferece atrações de tirar o fôlego. Castelos, monumentos, cidade medievais, história, cervejarias e, o que importa muito em tempos de crise, preços baixos. Oficialmente aceito na União Européia, o país ainda não adotou o euro. E o resultado é uma moeda desvalorizada em relação ao real, cuja conta é feita na base de 1 para 10, ou seja, 1 real, 10 coroas checas; sem contar que o custo de vida é muito baixo em relação às demais nações da Europa Ocidental. Para se ter uma idéia, uma cerveja, de meio litro (não qualquer cerveja, pois deve-se considerar que os checos fazem as melhores e mais premiadas do mundo) custa a bagatela de 3 reais. Um belo almoço ou jantar não custa mais de R$ 20 e, na hospedagem, encontra-se excelentes e muito bem localizados hotéis de 4 estrelas por R$ 150 a diária do casal. Na alta estação!
Os preços baixos, veja bem, não significam necessariamente serviços ruins. Se por um lado o inglês deixa a desejar, a descontração e a boa vontade dos checos em receber bem compensa em muito tal deficiência. O governo está investindo pesado no turismo, oferecendo infra-estrutura e atrações culturais. E se você gosta de música clássica ou de jazz de muito boa qualidade, estará no lugar certo. Portanto, é bom aproveitar rápido, porque logo, logo a República Checa estará ao nível (inclusive de preços) dos demais destinos europeus.

A Capital
Praga em nada deve às grandes capitais da Europa em termos de transporte público, comida, serviços, diversidade cultural e religiosa, mercados, praças, arquitetura e história. Há quem a considere (minha cunhada) mais bela que Paris ou mais agitada que Berlim ou Madri. É verdadeiramente uma cidade encantadora, com edifícios de fachadas impressionantes em toda a extensão das avenidas e monumentos muito bem-cuidados. Há ainda a intrigante Cidade Velha (Staré Mésto); igrejas magnificamente decoradas; museus importantes e um castelo majestoso, de beleza hipnotizante, dominando a paisagem do outro lado do rio Vltava. Na lindíssima Charles Bridge (Ponte Carlos), com suas estátuas escurecidas, artistas de rua fazem performances inspiradas. À noite, óperas, teatros e casas noturnas oferecem uma produção musical e cênica entre as mais importantes da Europa (a música clássica é particularmente muito apreciada na cidade) e os melhores DJs da cena européia são importados para sacudir as boates.

Ponte Carlos, vista através do insulfilme das microjanelas do Museu Kafka, em Praga; ainda na capital checa, o Castelo de Praga ao crepúsculo

Ah! Em Praga, é necessário ir às compras. São inúmeras avenidas comerciais oferecendo de simples bugigangas locais às mais chiques grifes internacionais. Os preços são simplesmente irresistíveis.


Interior básico na República Checa

Pilsen - O nome já diz tudo. Uma visita à mais importante cervejaria da República Checa, com degustação e acompanhamento de todo o processo de produção, é imperdível.


Kutna Ora - Cidade medieval com o mais impressionante castelo da Europa Central, a apenas alguns minutos de trem de Praga.


Cesky Krumlov - Uma viajem no tempo. Cidadezinha ao sul, quase na fronteira da Áustria, com fascinante casario medieval, pequenas ruas só para pedestres e um castelo espetacular, com um jardim de sonhos e ursos de verdade no fosso.


Vista de Cesky Krumlov acima e,abaixo, urso no fosso do castelo da cidade

Um comentário:

Bruno disse...

Ô Reale, gostei de vc como guia turístico. Tinha muita vontade conhecer Praga. Agora tenho mais ainda. Achei interessante principalmente os preços da cerveja. Sabe como é né, a bebida não chega a ser o principal da viagem, mas é muito importante tb, rs.
Abs!
Bruno Rocha Lima