terça-feira, 18 de agosto de 2009

O Crepúsculo dos Deuses

Assistir a Zubin Mehta dirigindo uma orquestra já seria fascinante. Regendo uma ópera, então, era glorioso. No palco, porém, o acompanhava uma das trupes teatrais mais criativas e revolucionárias da atualidade, o grupo catalão La Fura Dels Baus. E, para completar, a obra, magistral, definitiva: Götterdämmerung, O Crepúsculo dos Deuses, de Richard Wagner, a última das quatro óperas que compõem a saga do Anel do Nibelungo, da fábula das Walkírias.

Fantástico. Eu era o homem certo no lugar certo. Quer dizer... O lugar não era lá muito bom, na penúltima fila do Teatro Comunale di Firenze, mas eu levei um binóculo para compensar. Também, por míseros 35 euros poderia ser uma cadeira de espinhos. (Na Europa todo mundo pode ir à ópera, ao teatro, aos concertos, pois há ingressos para todos os bolsos e os estudantes pagam menos mesmo, sem cotas preestabelecidas.)

O Crepúsculo dos Deuses foi o espetáculo mais esperado do Maggio Musicale Fiorentino de 2009, um dos festivais culturais mais importantes da Itália e que acontece desde 1933. Sem dúvida a apresentação mais instigante que já pude ver. Foram simplesmente cinco horas e meia de música, dança e teatro, com personagens voando presos a cabos invisíveis, divas cantando em piscinas de vidro e até um navio no palco. Os recursos de multimídia e as projeções de luz são impressionantes, assim como os seis monitores gigantescos auxiliando na composição do cenário. Inesquecível.

Encontrei essa reportagem especial da Rai no Youtube, em três partes (e em italiano). Dê uma olhadinha.

http://www.youtube.com/watch?v=i-cAerF9G58&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=6K6SyBGXh_c&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=V4821157Q4E

Nenhum comentário: